Entendendo o Espaço de Cor L*a*b*   Assista ao vídeo sobre o medidor de iluminância T-10A
É impressionante que o olho humano possa perceber milhões de cores e o quão diferente é a percepção de cores para cada indivíduo e como essas diferenças resultam em problemas, normalmente caros, para fabricantes e seus fornecedores. Então, como podemos avaliar e expressar corretamente a cor de um objeto para outra pessoa usando uma linguagem uniforme e padronizada?


Saiba mais >
 
Saiba mais sobre os medidores de iluminância T-10A da Konica Minolta. Esses instrumentos, capazes de medir vários tipos de fontes de luz, incluindo PWM controlado e luz cintilante, são usados por fabricantes de produtos de iluminação na inspeção de fontes de luz e na medição da iluminação de luzes de ruas e de segurança, por arquitetos para validar especificações de projetos e em outras tarefas nas quais a distribuição ou o fluxo total de luz é necessário. 

Veja o vídeo aqui  >
 

 
Deficiência visual de cor em preto e branco
  Aplicações reais: medição de produtos assados

Você sabia que 1 em cada 12 pessoas do sexo masculino tem deficiência visual de cor, sendo que muitos não são capazes de distinguir o vermelho do verde? Para qualquer pessoa com visão de cor “normal” isso é difícil de ser entendido. A deficiência visual de cor, normalmente conhecida como daltonismo, é a incapacidade de diferenciar certas tonalidades de cor, como por exemplo,  o verde, vermelho, amarelo e azul. 


Leia mais em nosso site >

 
 

Quando a Pepperidge Farm instalou os medidores de contraste de assados BC-10, da Konica Minolta Sensing, analisar a cor de produtos de panificação ficou muito fácil. Segundo Mike Davis, tecnólogo em Assados da Pepperidge Farm, avaliar cor a olho nú não é tão fácil como muitas pessoas que assam pães em casa poderiam pensar, de fato, ele disse que era um grande desafio.




Leia aqui >


 
Edição de novembro de 2013
Facebook Twitter YouTube Linked In


Facebook  Twitter  YouTube  Linked In